Facebook prevê capacitar 50 mil jovens no Brasil em 2020

O Facebook pretende dobrar a capacidade de formação do seu centro de inovação, a Estação Hack: a rede social prevê capacitar cerca de 50 mil jovens brasileiros neste ano, com cursos em áreas como programação e desenvolvimento de aplicativos – nos últimos dois anos, o projeto capacitou 26 mil pessoas.

“Para aumentar a capacidade da Estação Hack estamos apostando em cursos online e em cursos para capacitação de professores”, disse Eduardo Lopes, diretor da Estação Hack, em evento na manhã desta terça-feira, 4, em São Paulo.

Para os cursos online, a empresa conta com a parceria com a plataforma de treinamento Digital House.

Para seus cursos, a Estação Hack busca principalmente jovens de escolas públicas. “Os cursos são gratuitos e nossa prioridade é chegar em alunos que não têm condições de pagar por essa formação, que costuma ser cara”, afirmou Lopes.

Segundo a empresa, nos últimos anos, cerca de 80% dos alunos capacitados pela Estação Hack eram de escolas públicas. Além disso, aproximadamente 35% dos estudantes eram mulheres.

A Estação Hack foi Inaugurada em 2018 na Avenida Paulista, em São Paulo. Para a expansão de seus cursos, o projeto também aposta em seu programa itinerante, o Estação Hack na Estrada, para oferecer cursos de programas para cidades além de São Paulo.

Em 2020, o centro de inovação do Facebook pretende chegar a cidades como Campinas, Vitória, Brasília, Porto Alegre, São Luís e Natal. A empresa ainda não tem planos de inaugurar novos espaços físicos neste ano.

– Inovação –

Além dos cursos de capacitação, a Estação Hack também acelera startups, especificamente da área de impacto social – os programas têm parceria com a aceleradora Artemisia.

Desde 2018, foram aceleradas 40 startups no centro de inovação (10 empresas a cada semestre) – o programa é aberto para negócios de qualquer região do Brasil. Ao todo, essas startups levantaram R$ 42 milhões em investimentos.

Agora em 2020, o objetivo é acelerar 15 startups por semestre. “Vamos focar principalmente no nosso programa de residência, e pretendemos trazer mais empresas de fora de São Paulo para a Estação Hack”, disse Lopes.

A empresa está buscando startups que já passaram por algum tipo de experiência de aceleração.

O programa de aceleração de startups e o de capacitação de jovens conversam entre si. “Alguns alunos acabam sendo contratados por startups”, afirmou Lopes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.